Menu

blog da ilex

Quando um website barato sai caro

Quando um website barato sai caro

Algum tempo atrás escrevemos alguns artigos comentando sobre as mudanças nas tendências de buscas por desenvolvimento web e como isso estava desalinhado com a própria definição de front-end e back-end (clique nos links e leia os artigos anteriores). Existe uma adesão enorme as ferramentas de construção de websites, seja de pequenos empreendedores que constroem seus próprios sites até agências que vendem esse serviço.

Exploramos bastante a diferença que é construir um website em uma dessas ferramentas “prontas” e desenvolver um website personalizado desde a criação até programação! Esse conceito que tanto batemos não é para demonizar as ferramentas prontas, porém para enfatizar que muitos dos objetivos que os usuários buscam só podem ser alcançados com um desenvolvimento massivo e complexo de uma ferramenta web. As ferramentas prontas oferecem recursos limitados buscando atender uma demanda que preza por curto prazo, valor baixo e resultado visual.

Não há como negar que essas ferramentas se popularizaram e são usadas em uma grande escala. Tanto que terceiros começaram a desenvolver plugins para complementar as mesmas e poder lucrar em cima desse movimento. Esses plugins incluem processos que agregam experiência de usuário e facilitam algumas atividades complexas como carrinho de compras, otimização de SEO, controle de cache, etc. Esses adendos também caíram nas graças dos usuários que rapidamente incluem dezenas de plugins em seus sites acreditando que trarão mais valor ao seu negócio.

Porém nos últimos dias uma falha crucial ficou escancarada para todos que utilizam essas ferramentas e seus plugins. Os ataques de hackers focados em sites construídos com ferramentas prontas tem aparecido com frequência e eles exploram as falhas desde a ferramenta até seus plugins. Como estes são utilizados em larga escala, uma vez descoberto uma forma de invasão, isso se estende a qualquer um que possua um site feito nessas plataformas.

Essa situação corrobora com a definição que um site personalizado desenvolvido desde o início tem mais segurança que um site construído em uma ferramenta pronta. É mais fácil controlar as vulnerabilidades e toda a estrutura estará centralizada nas mãos dos desenvolvedores do site, e estes podem se acionados para corrigir eventuais falhas de segurança pontualmente.

Em um serviço de “monte-seu-site” você estará utilizando programação de terceiros e que pode nem sempre estar sendo atualizada e melhorada. E claro, por ser usada em larga escala, vira um alvo ideal para hackers uma vez que podem rapidamente invadir milhares de sites descobrindo apenas uma brecha.

Como de tudo é importante tirarmos os ensinamentos, utilizamos esse caso para valorizar, mais uma vez, o conceito de desenvolvimento de websites e ferramentas web personalizados.

Evidenciar a diferença que existe entre construir e desenvolver um site e, como uma questão de segurança, tão importante em uma época onde “internet das coisas” está cada vez mais presente. Precisamos encontrar os espaços para cada produto e serviço e evitar confundir ou comparar aqueles assemelhados no visual porém tão diferentes na estrutura.

Algumas Fontes:

Milhares de Sites Hackeados

Bug permite login Admin

Compartilhe este post:

Não quer perder nenhuma publicação? Cadastre-se em nossa lista e receba as atualizações por email!