Menu

blog da ilex

A mágica não acontece no visual!

A mágica não acontece no visual!

Nos últimos artigos temos abordado bastante as diferenças existentes entre a programação font-end e back-end, como isso impacta nos custos dos projetos, a falta de entendimento por parte do usuários sobre qual a função de cada um e como isso tem gerado uma avalanche de ferramentas prontas com foco em visual e muito pouco em desenvolvimento.

O conceito do “faça você mesmo” é uma tendência que já vem a algum tempo ganhando espaço no mercado, não somente de tecnologia da informação e marketing, mas em vários outros segmentos. A possibilidade de poder criar, construir e customizar algo sem a necessidade de um profissional especializado atrai muito pelo baixo custo e pouca exigência de conhecimento técnico. Mas será que é assim tão simples e até “mágico”?

Voltando um pouco no tempo, há 15 anos atrás, possuir um website era basicamente o necessário para garantir alguma presença virtual. A internet ainda não era um ambiente tão concorrido e as velhas práticas de marketing físico ainda se mostravam mais eficientes e atrativas.

Rapidamente o Google foi tomando a frente de uma espécie de “padronização” da internet e utilizando a preferência maciça dos usuários por sua ferramenta de busca, se tornou um ponto de referência para qualquer um que estivesse pensando em como garantir o seu espaço nas buscas dos usuários. Logo uma máxima começou a surgir: “como aparecer nas primeiras páginas das buscas no Google?”

Foi mais ou menos nessa época que começaram a surgir as mídias sociais. Porém não vamos abordar elas nesse momento pois estamos focados na produção de websites.

Com a crescente popularidade o Google então estabeleceu sua posição no mercado e, como uma referência na internet, definiu os padrões ideais para indexação de websites na sua ferramenta de busca. Hoje conhecemos esses padrões como SEO (Search Engine Optimization). Basicamente é o conjunto de regras, técnicas e parâmetros a serem utilizados no desenvolvimento de um website para garantir que ele seja o mais “ideal” possível dentro daquilo que o Google considera como um bom padrão de programação e práticas para elaboração de conteúdo.

As técnicas de SEO estão em constante modificação, conforme as necessidades avançam e a concorrência de sites aumenta, os padrões vão se aperfeiçoando, se tornando mais complexos. O próprio Google fica constantemente avaliando o mercado para garantir entregar o conteúdo mais assertivo possível no momento de uma busca de usuário. Por isso fica cada vez mais exigente para indexar os websites de conteúdo relevante as buscas.

Essa evolução demanda também profissionais capacitados a entender e introduzir dentro de linhas e linhas de código cada um desses padrões organizados da forma como são especificados e atendendo a demanda que a Google os coloca. Como comentamos, não existe mágica e, quanto mais complexos esses padrões ficam, mas especializados os desenvolvedores precisam ser para não deixar que nada escape durante o desenvolvimento.

Aqui fica claro a importância que existe no desenvolvimento de um site, desde a sua concepção, criação, desenvolvimento até a divulgação. Cada pequeno detalhe deve ser considerado. A mera existência de um website, por mais bonito que ele possa parecer, não garante absolutamente nada se por trás, ele não estiver de acordo com o que as métricas de mercado exigem.

Compartilhe este post:

Não quer perder nenhuma publicação? Cadastre-se em nossa lista e receba as atualizações por email!